8 comments on “Aicha Kandicha

  1. Muito interessante e já agora parabéns pela página e artigos, felicito a recolha e o amor a cada tópico. Este é de facto um site e uma riqueza de recolha que se pode ler durante dias a fio. Esta lenda em particular lembrou-me sobretudo a lenda da Floripes de Olhão, que nalgumas interpretações é bastante morena (há recolhas em que não o é, mas aí aponto apenas para os prováveis ideais de beleza de quem conta as histórias e também ao facto de existir genética loira também fora da esfera europeia). Outro facto sobre a Floripes: quer retornar a Marrocos, muito similar a esta Aicha em que em várias representações, quer retornar a Portugal, ou representa um “país perdido”. Outra similaridade é este aspecto mais vampiresco e de “femme fatale” por assim dizer, da Floripes, que nesta Aicha também se compõe. O próprio tom de pessimismo e “cumprir o fado” que surge faz-me lembrar bastante a lenda, mais coisa menos coisa conforme as lendas.
    Já se tem falado da origem das ‘moiras’ relativa aos povos indo-europeus a norte e interior, mas penso que a sul e em locais de postos comerciais e de litoral, as influências seriam obviamente bem diferentes pela história dos locais – sempre muito mais mediterrânicas em épocas anteriores ao cristianismo e islão. Esta Aicha ter ainda para mais origem fenícia é também algo muito curioso…
    Pergunto-me quantas mais semelhanças não haverá entre lendas portuguesas e marroquinas, berberes ou do magreb? Prova viva das interacções e trocas entre povos…
    Fantástico!

    • Agradeço as suas palavras sobre o blogue.
      Em relação à lenda da Floripes de Olhão, cujo texto nunca li, é frequente apontarem essa semelhança.
      A Aicha Kandicha, apesar da origem Fenícia, é uma personagem adoptada em várias situações. Desde os portugueses com o propósito de incutir o medo nos soldados e pô-los de sobreaviso, ao próprio Tahar Benjelloun, que a enaltece como guerrilheira da luta anti-colonial.
      Hoje em Marrocos podemos dizer que se encontra enraizada na demonologia popular, como figura moralizadora, sobretudo do adultério masculino e das relações pré-nupciais, mas também na religião de dois grupos específicos em que é adorada e a quem é pedida protecção _ os Gnaoua de Marraquexe e a comunidade Sufi Hamadcha do Zerhoun.
      O assunto dava para muita conversa, mas o que é interessante é que muita gente em Marrocos prefere não falar sobre o tema…

  2. Estou muito feliz por haver uma página contendo tantas informações sobre os povos árabes.Gostaria muito de trabalhar com esse tema na minha monografia, pois, sempre tive um respeito muito grande por essa cultura muito rica e que influenciou a todos nós.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s